domingo, 22 de julho de 2012

Escavações põem à luz do sol as minas de cobre do rei Salomão

Prof. Thomas Levy, arqueólogo da Universidade da Califórnia–San Diego
Prof. Thomas Levy, arqueólogo da Universidade da Califórnia–San Diego
O Prof. Thomas Levy (foto) arqueólogo da Universidade da Califórnia – San Diego encontrou as provas da existência das famosas “minas de cobre de Salomão”.

Tais minas exploradas pelo rei-profeta Davi e seu filho o rei Salomão, segundo o relato bíblico encontravam-se no reino de Edom, ao sul do Jordão.

O Prof. Levy dirigiu uma equipe internacional de arqueólogos que publicaram uma matéria sobre a descoberta em The Proceedings of the National Academy of Sciences dos EUA em 28/10/2008.

Ele anunciou que apresentaria ainda mais revelações numa reunião no 18 de fevereiro próximo (2009) no Social Sciences Supper Club, da sua Universidade.

Junto com Mohammad Najjar, dos Jordan's Friends of Archeology, o arqueólogo escavou um antigo centro de produção de cobre em Khirbat en-Nahas (que significa “ruínas de cobre” em árabe).

domingo, 15 de julho de 2012

O local do mais antigo templo católico:
a "igreja dos Apóstolos" no Cenáculo

Última Ceia, de Pietro Lorenzetti. O Cenáculo foi o local da primeira Missa
Última Ceia, de Pietro Lorenzetti. O Cenáculo foi o local da primeira Missa
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Uma descoberta em Megido, Israel, voltou a suscitar o debate sobre qual é o local da mais antiga igreja cristã.

As igrejas católicas apareceram logo após Jesus Cristo.

Os Apóstolos, seguindo o exemplo de Nosso Senhor, pregaram nas sinagogas e locais de reunião dos judeus.

Mas, a perseguição da Sinagoga tornou impossível a pregação do Evangelho nelas.

Simultaneamente a esta pregação houve locais onde os cristãos celebravam o verdadeiro sacrifício, i. é, a Missa, julgado intolerável pelo Sinédrio.

Com efeito, o Templo era o único local onde podia se celebrar o sacrifício no Antigo Testamento.

Este sacrifício era uma prefigura do Sacrifício do Calvário, e da Santa Missa. Tendo se operado o Sacrifício na Cruz, e sendo celebrada sua renovação incruenta, i. é, a Santa Missa, pelos Apóstolos e seus sucessores, o sacrifício do Templo perdeu todo significado.

Igreja do Cenáculo, Jerusalén
Entrada do Cenáculo, Jerusalén
Porém, os judeus seguiram praticando-o até o Templo ser incendiado pela soldadesca romana. Então, há quase dois mil anos, cessou definitivamente. Nem ruínas ficaram do Templo.

Uma das mais antigas igrejas - e ao que tudo indica a primeira - foi o Cenáculo, local da instituição da Missa.

O prédio fica no Monte Sion, fora das muralhas da velha cidadela de Jerusalém, acima do “Túmulo de David”.

O primitivo Cenáculo foi reconstruído depois da queda de Jerusalém.

De fato, os cristãos fiéis à profecia de Nosso Senhor da destruição do Templo e de Jerusalém, abandonaram a cidade amaldiçoada antes que os romanos a cercassem e destruíssem.

Cenáculo, igreja gótica dos Cruzados. Ciência confirma a Igreja
Cenáculo, um aspecto do estado atual.
Os elementos góticos vêm da época das Cruzadas
Após a tremenda devastação de Jerusalém pelas legiões de Tito e a dispersão dos judeus, os cristãos retornaram ao que tinha sobrado da cidade.

Instituíram no Cenáculo uma igreja orientada em direção ao Santo Sepulcro, e não mais ao Monte do Templo como fora o costume judeu.

Este antiquíssimo templo recebeu o nome de “Igreja dos Apóstolos” e tudo indica que é o local da mais antiga das igrejas.

Os Cruzados construíram no local uma igreja gótica, cujos restos subsistem e são visitados.

Com a perda de Jerusalém pelos cristãos, o local foi profanado e transformado em mesquita.

Casa de São Pedro, Cafarnaum. Ruinas sob nova igreja
A "casa de São Pedro"
Ao norte de Jerusalém, na praia do mar de Galiléia, a distância de um tiro de pedra da sinagoga de Cafarnaum, os arqueólogos trouxeram a lume a “casa de São Pedro”.

Ali há restos de várias igrejas construídas uma acima da outra em épocas sucessivas.

O achado é confirmado pelas descrições dos peregrinos dos séculos V e VI.

Uma outra igreja antiqüíssima foi desenterrada em Dura Europus, no lado ocidental do rio Eufrates, na Síria. Está datada em 245 d.C.

Exteriormente é uma casa. Suas paredes internas estão pintadas com cenas bíblicas.

Santa Helena
A imperatriz Santa Helena,
mãe do imperador Constantino
recuperou inúmeras relíquias
e igrejas na Terra Santa
O estudo das camadas inferiores da pintura leva a achar que antes fora uma sinagoga.

Em Aqaba, na área da cidade romana de Ayla foram localizadas as ruínas de uma igreja de perto do ano 280 d.C.

Tal vez seja o primeiro edifício construído especificamente para o culto cristão. A presença do bispo de Ayla foi registrada no Concílio de Nicéia no ano do Senhor de 325.

Após o Edito de Milão (313 d.C.) do imperador Constantino, que acabou com as perseguições, floresceram igrejas por todo o Império.

Algumas delas foram erguidas sob a supervisão da própria mãe do Imperador, a Imperatriz Santa Helena.

Tal é o caso da primeira igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém e a igreja da Natividade em Belém.

A igreja do mosteiro de Santa Catarina na península do Sinai seria a mais antiga igreja aonde o culto católico vem sendo praticado, se não fosse a fratura imposta pelo cisma que tirou esse mosteiro da Igreja.




Igreja do Santo Sepulcro, Jerusalém. GIRE COM O MOUSE